Você está aqui: Página Inicial > Centrais de Conteúdo > Vídeos > Minuto da Ética > Minuto da Ética #06 – Relação professor e aluno

Minuto da Ética #06 – Relação professor e aluno

por Rafael Katayama Tsuge publicado 21/11/2017 14h31, última modificação 21/11/2017 14h38

Em uma instituição de ensino, espaço que precisa ser aberto ao diálogo, educadores e educandos devem tratar de temas como tolerância, respeito e diversidade. Essa também é uma conduta ética.

Olá, servidor! Nesta edição do minuto da ética, vamos tratar de um assunto que merece a atenção de todos: a relação professor aluno.

Começamos com uma reflexão: será que, na escola, o estudante aprende somente as disciplinas previstas na matriz curricular? As relações criadas no ambiente escolar não fariam parte de um currículo oculto?

O ato de ensinar também está na forma como o professor se comporta e se apresenta em sala de aula, na linguagem que utiliza, nos exemplos que escolhe, nas brincadeiras que faz. Nada disso passa despercebido pelo aluno.

A escola é, por excelência, um espaço de formação. Diante desse contexto, o trabalho do professor não deve conter, de forma alguma, expressões de rancor, ofensa, rispidez, autoritarismo, cinismo. Nada que cause no aluno humilhação ou vergonha.

Denúncias de abusos ocorridos em sala de aula, em geral, têm origem em comentários preconceituosos do professor relacionados à sexualidade, cotas para negros ou indígenas, condição social, religião.

O professor, é claro, não está livre de cometer alguma violência psicológica contra estudantes, ainda mais quando se sente desautorizado, desrespeitado ou impotente diante da indisciplina.

O primeiro passo para resolver a questão é entendermos que todos nós somos seres em construção. Como educadores e educandos, nos formamos nas relações que construímos.

A sala de aula deve ser um espaço aberto ao diálogo. Discussões sobre tolerância, respeito, diversidade e ética precisam fazer parte do cotidiano escolar.

Este é, sem dúvida, o caminho mais curto para educarmos cidadãos éticos, conscientes de seus deveres e direitos, autônomos para construir uma sociedade mais igualitária.

Esperamos que tenha aproveitado nossa reflexão. Até a próxima!

registrado em: