Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Dirigentes avaliam primeiro ano de atuação do Conselho de Reitores do MS

Crie-MS

Dirigentes avaliam primeiro ano de atuação do Conselho de Reitores do MS

Reunião foi realizada na sede da UFGD, em Dourados, nessa segunda-feira, 11. Dirigentes também traçaram planejamento de ações para 2018.
por Vinicius Vieira publicado: 12/12/2017 17h37 última modificação: 12/12/2017 17h39
IFMS
Exibir carrossel de imagens Ascom/IFMS Dirigentes se reuniram na sede da UFGD, em Dourados, na segunda, 11.

Dirigentes se reuniram na sede da UFGD, em Dourados, na segunda, 11.

Dirigentes do Conselho de Reitores das Instituições de Ensino Superior de Mato Grosso do Sul (Crie-MS) participaram nessa segunda-feira, 11, do último encontro programado para 2017, com o objetivo de avaliar as ações realizadas desde a formação do colegiado e estabelecer metas para o próximo ano.

Sediado na Universidade da Grande Dourados (UFGD), o encontro teve a participação da reitora anfitriã, Liane Calarge; do presidente do Crie-MS, Fábio Edir dos Santos, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems); de Luiz Simão Staszczak, do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS); Pe. Ricardo Carlos, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB); e Marcelo Fernandes, pró-reitor de Extensão da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), representando o reitor Marcelo Turine.

Na parte da manhã, cada reitor falou sobre a percepção dos resultados obtidos por meio do Conselho, em prol tanto das instituições que formam o Crie-MS quanto do Estado de Mato Grosso do Sul.

“O trabalho e a dedicação dos membros têm superado as dificuldades das ações de planejamento do início do ano, principalmente as orçamentárias. Estamos somando forças tanto nas áreas de apoio quanto nas finalísticas de nossas instituições para atender as demandas da sociedade”, comentou Luiz Simão.

Na avaliação do Pe. Ricardo Carlos, as duas Leis de Inovação - no município de Campo Grande e em Mato Grosso do Sul - são frutos do trabalho do Conselho, trazendo grandes benefícios para o Estado. O reitor também destacou o sucesso da Rota Bioceânica com o envolvimento das universidades.

“A parceria estabelecida pelo Crie-MS, no âmbito da Rota Bioceânica, por exemplo, demonstra nossa capacidade. Precisamos unir ainda mais nossas forças, para que as universidades tenham visibilidade cada vez maior”, reforçou.

Parcerias – Durante a reunião, a conselheira Federal de Administração, Gracita dos Santos Barbosa e a advogada, Alessandra Piano, solicitaram o apoio do Crie-MS para Campo Grande Expo 2018, feira de agronegócios com o envolvimento de diversos setores da cadeia produtiva, de maneira integrada.

“A ideia é contar um pouco da história pantaneira, da cultura sul-mato-grossense e, acima de qualquer coisa, movimentar o PIB [Produto Interno Bruto) do Estado. Queremos que a nossa economia seja estimulada por meio do agronegócio, turismo e cultura e, com isso, dar maior visibilidade a Mato Grosso do Sul”, afirmou Gracita.   

Para Fabio Edir, a intenção de parceria demonstra que o Conselho já alcançou visibilidade em pouco tempo de existência.

“Entendo que se o Governo do Estado e a iniciativa privada pedem o apoio do Crie-MS para a realização de uma feira deste porte é porque existe o reconhecimento da importância do Conselho perante a sociedade civil organizada e as esferas do executivo e legislativo. Isso nos enche de orgulho e nos dá a certeza de que estamos no caminho certo”, disse.

Nova Andradina – O encontro também marcou a assinatura de um termo de cooperação entre a UFMS e IFMS, para a utilização, pelo Campus Nova Andradina do Instituto, da sede da Universidade no município durante o dia.

“Em Nova Andradina, temos um campus rural, cujo acesso não é asfaltado. A possibilidade de utilizarmos a estrutura da UFMS, localizada na área urbana, para parte das aulas, nos permitirá reduzir os índices de evasão, uma vez que irá facilitar o trânsito de servidores e estudantes ao IFMS”, explicou Luiz Simão.

Grupos de Trabalho – Na parte da tarde, reitores, pró-reitores, assessores e gestores das universidades dividiram-se em Grupos de Trabalho (GT’s) para discutir ações dentro dos eixos de atuação do Crie-MS: "Internacionalização e Mobilidade Acadêmica”, “Turismo e Cultura”, “Comunicação Científica”, “Excelência na Educação Básica e na Educação Superior” e “Ciência, Tecnologia e Inovação”.

Todos os grupos apresentaram ideias centrais que deverão ser desenvolvidas em 2018, como a proposta de regulamentação da UniRILA (Rede Universitária da Rota da Integração Latino-Americana); maior difusão da produção científica das Instituições; criação de um corredor cultural; concepção de um guia de cursos de graduação das Universidades do Crie-MS, entre outras.  

A reitora da UFGD falou sobre a honra recepcionar o encontro e perceber as conquistas alcançadas por meio do Conselho.

“O Crie-MS foi instituído para a integração das universidades de MS, e apresentar o campus da UFGD aos que ainda não conheciam foi um grande prazer e uma forma de estreitar ainda mais os laços entre as instituições. Tenho satisfação em fazer parte deste grupo que tem mostrado sua relevância, haja visto os resultados e a visibilidade que tem alcançado. Tenho certeza que, em 2018, o Crie-MS terá um papel ainda mais efetivo em termos de internacionalização e acordos de cooperação entre as universidades”, afirmou.

A próxima reunião do Crie-MS está programada para ser realizada na sede do IFMS, em Campo Grande, no dia 26 de fevereiro.

* Com informações da Assessoria de Comunicação da Reitoria da UFGD

registrado em: