Você está aqui: Página Inicial > Notícias > IFMS se classifica para Jornada Brasileira de Foguetes

Estudante

IFMS se classifica para Jornada Brasileira de Foguetes

Equipe do Campus Ponta Porã participa do evento, que será realizado no Rio de Janeiro entre 30 de outubro e 2 de novembro.
por Paulo Gomes publicado: 02/10/2018 10h34 última modificação: 02/10/2018 10h34
Exibir carrossel de imagens Equipe Frontier Rocket foi a que conseguiu o maior lançamento

Equipe Frontier Rocket foi a que conseguiu o maior lançamento

Uma equipe do Campus Ponta Porã do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) está credenciada para participar da XVII Jornada Brasileira de Foguetes, que será realizada no município de Barra do Piraí (RJ) entre 30 de outubro e 2 de novembro.

A classificação foi conquistada durante a XVII Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), realizada em junho deste ano. A premiação foi divulgada na semana passada. No evento, nove estudantes de três equipes do campus foram premiados ao alcançarem as maiores distâncias nos lançamentos, que são feitos com foguetes construídos de garrafas PET. 

“A Mostra é de nível nacional, aberta a todas as escolas públicas e particulares, mas apenas as 200 melhores são selecionadas para participar da Jornada de Foguetes. É o caso do Campus Ponta Porã, a nossa melhor equipe classificada foi selecionada”, apontou o professor de Física, Glauber Rocha, um dos responsáveis pela competição no campus.

A equipe que arremessou a maior distância foi a Frontier Rocket, que atingiu 226 metros e é formada pelos estudantes Anibal Salinas Júnior, Bruno Davi Larrea Jacques e Ian Winckler Medeiros, todos do curso técnico integrado em Informática. Eles foram premiados com a medalha de ouro.

Um dos diferenciais foi que todos os alunos são do curso técnico integrado em Informática. Eles tiveram a ideia de criar um software que simula os lançamentos, o que garantiu maior precisão e economia de materiais. O “Projeto X” é o primeiro programa criado especificamente para o lançamento de jatos com garrafa PET.

“Nós criamos o software porque não achamos um que simulasse um lançamento de foguete de garrafa PET adequado. Nos testes que fizemos, a precisão medida é de 94%, comparando com os lançamentos reais”, explicou o estudante Anibal, um dos autores do projeto, que também virou Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Arremessos – A outra equipe ganhadora de medalhas de ouro alcançou 223 metros, é formada por César Mateus Penzo Jara (Agricultura), Maria Leonor Encina Pinazo (Informática) e Mateus Lopes Brites (Informática).

“A aplicação prática da competição envolve aplicação de física, matemática e química. Os estudantes precisam criar uma tecnologia própria para fazer os foguetes serem lançados. O foguete é montado com garrafa PET, mas é preciso dimensionar o tamanho, o deslocamento de massa, as aletas, o bico”, explicou o professor Glauber Rocha.

Com a medalha de prata, e um arremesso de 174 metros, ficou a equipe formada por Carla Mendoza Bogado (Agricultura), Jean Carlos Mascari Diniz (Informática) e Vinicius Roosevelt Santos Dias (Informática).

Para participar das competições, os estudantes precisam construir foguetes de garrafas PET e uma plataforma, também de material reciclável. Uma mistura de bicarbonato de sódio e vinagre é o propulsor das criações.

“A aplicação prática da competição envolve aplicação de física, matemática e química. Os estudantes precisam criar uma tecnologia própria para fazer os foguetes serem lançados. Tem toda uma questão de engenharia espacial. O foguete é montado com garrafa PET, mas é preciso dimensionar o tamanho, o deslocamento de massa, as aletas, o bico. Tem todo um cálculo de coeficiente de arrasto e de resistência do ar”, explicou o professor Glauber.

Equipes dos campi Dourados e Corumbá do IFMS também foram selecionados para participar da Jornada Brasileira de Foguetes.