Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Incubadora do IFMS certifica projetos de jovens empreendedores

Pesquisa e Inovação

Incubadora do IFMS certifica projetos de jovens empreendedores

Vinte e seis trabalhos participaram da pré-incubação nas unidades locais em Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Jardim, Naviraí e Nova Andradina.
por Laura Silveira publicado: 22/12/2017 08h41 última modificação: 05/01/2018 15h12

Facilitar o processo de geração e consolidação de empreendimentos inovadores é o principal objetivo da Incubadora de Empresas do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), a TecnoIF. Neste ano, 26 projetos participaram da pré-incubação nas unidades locais em Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Jardim, Naviraí e Nova Andradina.

Os trabalhos foram selecionados por meio do Edital nº 009/2017, publicado pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação (Propi) em fevereiro de 2017. No total, 26 estudantes participaram da pré-incubação, sendo 24 bolsistas - o valor foi de R$ 600, parcelado em seis vezes, durante o período de incubação - e dois voluntários.

O período de pré-incubação durou seis meses, e foi encerrado em novembro. As equipes de gestão das Unidades TecnoIF contam com 23 servidores envolvidos nos seis campi.

“As atividades relacionadas à TecnoIF começaram em 2015. Na pré-incubação, os estudantes recebem suporte técnico, gerencial e capacitação, com o objetivo de formar neles um perfil empreendedor. Neste ano de 2017, foram mais de 700 estudantes de todos os campi, mesmo naqueles que ainda não têm unidade TecnoIF em atividade, capacitados por intermédio da incubadora por instituições parceiras”, explicou a coordenadora-geral da TecnoIF, Lilyan Cristaldo.

Jardim - Na noite dessa quarta-feira, 20, foi realizada a cerimônia de certificação dos quatro projetos pré-incubados na unidade da TecnoIF do Campus Jardim.

“O balanço do primeiro ciclo de pré-incubação aqui em Jardim é muito positivo. A certificação significa que o empreendimento está pronto para captar parceiros e receber investimento. O próximo passo é, inclusive, poder virar uma empresa. Na cerimônia também pudemos apresentar o IFMS para a comunidade externa e para possíveis parceiros”, apontou a coordenadora local, professora Ivilaine Delguingaro.

Os projetos abrangem variados temas. Um deles é uma cafeteria que propõe criar um copo de café comestível. Outro é desenvolvido em parceria entre os campi Jardim e Campo Grande e prevê o desenvolvimento de uma capa de celular que permita carregar a bateria com o calor da mão do usuário.

Além deles, outra proposta pré-incubada em Jardim é a de um cinema social, que busca levar entretenimento de baixo custo a jovens do município, e o desenvolvimento de um software para controlar a dosagem de medicamentos em hospitais.

Os participantes, além de receberem assessoria técnica da incubadora, puderam utilizar o valor da bolsa para desenvolverem o produto mínimo viável de suas invenções – o protótipo.

“Todos os projetos já foram apresentados em feiras científicas e tecnológicas ao longo deste semestre, e também estão credenciados para eventos nacionais em 2018, como a Febrace, em São Paulo. O trabalho da incubadora é o de potencializar esses trabalhos. Também já entramos com o pedido de registro de depósito de patente e de software. Para o ano que vem, a expectativa é que a TecnoIF evolua e que o trabalho seja aperfeiçoado”, complementou a coordenadora.

Nova Andradina - Na unidade local de Nova Andradina, os projetos desenvolvidos pelos estudantes selecionados no edital da Propi começam a dar os primeiros resultados.

Dos seis projetos selecionados, um já está funcionando como negócio, destinado à comercialização de produtos online. A partir da pré-incubação, três acadêmicos do curso de tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas criaram um site para venda de produtos voltados a programadores.

O desenvolvimento do plano de negócios durou seis meses. O objetivo dos estudantes é comercializar itens como camisetas, adesivos, canecas e botons, sendo que alguns modelos já estão à venda. Existem planos também para bonecos 3D e chaveiros.

Recentemente, o grupo foi responsável pela comercialização de camisetas referentes ao NerdIF, evento promovido pelo Campus Nova Andradina e voltado à cultura nerd na região.

“Pensamos em algo que aliasse o que aprendemos em nosso curso com o empreendedorismo. Surgiu a ideia do e-comerce para um público-alvo, no caso programadores ou futuros programadores, opção voltada à nossa área de atuação. No mercado não existe nada nesse sentido. Há negócios voltadas à cultura nerd, que acabam englobando tudo, mas nada específico para o público escolhido”, explicou o estudante Alison Rocha.

Segundo os acadêmicos, os produtos desenvolvidos tem o objetivo de retratar as atividades cotidianas dos profissionais da área, sempre com bom humor.

“Na elaboração das camisetas, pensamos, por exemplo, em um método de linguagem de programação que era a ‘função’ do desenvolvedor, na qual tinha as funções comer, dormir, café e codificar, que é o dia a dia do programador”, destacou o estudante João Neves.

A loja virtual desenvolvida pelos acadêmicos, por meio do processo de pré-incubação, já está disponível e pode acessada no endereço www.devstore.com.br.

TecnoIF - A Incubadora de Empresas do IFMS é um agente facilitador no processo de geração e consolidação de empreendimentos inovadores por meio da formação complementar de empreendedores em áreas compatíveis com as atividades de ensino, pesquisa e extensão oferecidas pelo Instituto em seus aspectos técnicos e gerenciais.

Tais capacitações são proporcionadas durante a pré-incubação, ofertadas pela equipe de gestão local das unidades da TecnoIF ou por parceiros da incubadora.

Para 2018, as expectativas são de ampliar o trabalho já executado.

“Vamos fazer um balanço com todas as coordenações locais para avaliar como foi o ano e verificar se há potencial para abrir um edital de incubação em 2018, com oferta tanto para a comunidade interna quanto externa. Nesta nova fase, o IFMS fornecerá espaço físico para que a ideia se transforme numa empresa e comece a funcionar. Também há previsão de abertura de unidades locais da TecnoIF em outros campi do Instituto”, finalizou o diretor de Empreendedorismo e Inovação, Matheus Neivock.